Coletivo Invisível – Seleção 2014

Macroterritório 2 • Metropolitana de Salvador • Salvador • Seleção 2014

Diogo Reyes da Costa Silva

Contato: paradoxo@gmail.com

O Coletivo Invisível é um grupo que realiza música a partir da elaboração, transformação e utilização de elementos de música eletrônica e acústica (principalmente percussão e sopro). É um projeto de pesquisa musical onde as construções sonoras se encontram numa ambientação dramática, imersiva e introspectiva, valendo-se de materiais sonoros diversos e experimentais, como as sonoridades frequentemente encontradas na música nordestina e as texturas e efeitos da música eletrônica. O grupo conta com diversas apresentações e com três membros permanentes, mas usualmente se apresenta com músicos e DJs convidados.

Diogo Reyes Silva (DJ Bone):
Dj Bone é uma veterano no cenário do nordeste brasileiro, DJ profissional desde 2002 e produtor musical desde 2004, com releases digitais e físicos em variadas vertentes da música. Tendo se apresentado, discotecando ou com projetos de produções próprias, em diversas casas noturnas, teatros, festas e festivais de música eletrônica. Suas influências e trabalhos se concentram em vertentes underground do psychadelic trance, bem como na música experimental, ambient, vertentes da música eletrônica ligadas ao jazz, como o acidjazz, jazzfusion e trip-hop. Com atuação constante na cena soteropolitana, é membro, desde 2004, do coletivo Soononmoon e desde 2012 da Forest Family. Assina pelo selo independente Bhootheswara Records da Macedônia, desde 2006, e também trabalha com as gravadoras brasileiras Olotropo Records e Grimm Records. Além disso é fundador, desde 2005, do Coletivo Invisível e seus outros projetos incluem, Mangroove (Full-on com influências de Suomi trance), Osso (Ambient/Dub/Experimental) e Igboogã (Forest/Darkpsy).
Entre eventos e apresentações podemos destacar: Universo Paralello Festival, Zuvuya Festival(Luziânia-GO),Terra em Transe Festival(Jaguaripe-BA), Pulsar e Pulsar Festival(Salvador), Synesthesia Festival (Fortaleza-CE), Festival Fora do Tempo (Carolina-MA), Forest Family (),Digitália, Aurora (Salvador), After Dreams (Porto de Galinhas-PE), O Brilho (Recife-PE). Também participou da turnê carioca do compositor mineiro Antônio Santanna. Com muitas apresentações em casas noturnas e de espetáculo, como Zauber, Miss Modular, Boomerang, Teatro do SESI(todos em Salvador), Ventana (Arequipa-Peru), Espaço Rio Carioca, Teatro Odisséia e Atlântico (todos no Rio de Janeiro).
Tem trabalhos também com trilhas sonoras e edição de áudio, incluindo os filmes “Juventude e Meio Ambiente”(2007) e “Uma Árvore Bonita”(2012), as peças de teatro, “Troca a cena”(2006) e “Passarinhando”(2007), “Salomé, de Oscar Wilde” (com o Coletivo Invisível, 2009), “Depois do Fim”(2010) e “Engenho K”(2011). O espetáculo de dança “Instantâneo” (2011) e ainda a exposição interativa “No Eito da Cana” (2008).

Ráiden Santos Coelho:
Músico, multi-instrumentista e professor de música, atua no cenário nacional e internacional desde 1997. Licenciado em Música pela Universidade Federal da Bahia e especialista em educação pela Universidade do Estado da Bahia, atualmente é mestrando em música pela Universidade de Brasília. É professor de música da rede pública municipal de Salvador-ba e professor-tutor de música da Universidade de Brasília. Como multi-instrumentista (saxofones, flautas, violão e percussão), compositor e diretor musical, atua na direção, composição e execução de trilhas sonoras para teatro, dança e cinema. Em 2013 foi agraciado com o prêmio Calendário das Artes, pela Fundação Cultural do Estado da Bahia pelo projeto “Coletivo Audiovisual Invisível: concertos itinerante de música eletroacústica” e atualmente faz parte também do grupo Ifá Afrobeat. Suas áreas de interesse são Educação Musical, Educação, Cultura Popular Nordestina, Música Contemporânea Brasileira, Música Eletroacústica, Artes Cênicas, Filosofia, Tecnologias da Informação e Comunicação, Internet.

Martim Reyes da Costa Silva (percussão):
Martim, natural de Salvador, Bahia, percussionista e multi-instrumentista, bacharel em Filosofia pela Universidade Federal da Bahia (2009) e mestrando
em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente é professor substituto de língua e literatura grega na Universidade Federal da Bahia. Entre 2003 e 2007, trabalhou na Escola Casa Via Magia com educação musical e cultura popular. Desde 2002, integra o grupo de Capoeira Angola Zimba, sedeado em Salvador, Bahia, tendo adquirido experiência e realizado pesquisas com instrumentos e ritmos tradicionais, especialmente o Berimbau. Desde 2005, é parte do Coletivo Audiovisual Invisível, com o qual realizou várias apresentações, como a temporada “Sabiá com Trevas” no Teatro Sesi Rio Vermelho, assim como as trilhas sonoras dos espetáculos “Salomé, de Oscar Wilde” e “Instantâneo”.

coletivo invisivel
Junglepeople
Coletivo Invisível
coletivo invisivel
The Teacher and The Tree
Coletivo Invisível