Grupo Pirombeira – Seleção 2014

Macroterritório 2 • Metropolitana de Salvador • Salvador • Seleção 2014

João Gilberto Paim Mascarenhas

Contato: pirombeira@gmail.com

João Gilberto Paim Mascarenhas: Licenciado em Ciências Sociais e Mestre em Sociologia pela Universidade Federal da Bahia, desenvolve pesquisa sobre a chula do recôncavo baiano, onde foi apresentado aos mestres da chula (e da cultura popular) João do Boi e Alumino, do distrito santamarense de São Braz (BA), e conviveu com os chuleiros da região. É percussionista do Grupo Pirombeira e membro fundador do projeto Som de Zilda, evento musical no qual já dividiu o palco com os artistas Roberto Mendes, maestro Leitieres Leite e Munir Hossn.

José Luciano Azevedo de Aguiar: Nascido aos 4 de abril de 1970, é integrante do grupo musical baiano Matita Perê desde sua criação, em 1999, ao lado do compositor, arranjador e violonista Borega. Desde 2001, escreve sobre música no jornal A Tarde, no qual publicou inúmeras críticas sobre discos, shows e trabalhos musicais de artistas e grupos da Bahia e do País. Entre os seus entrevistados, estão Milton Nascimento, Elomar, Hermeto Pascoal, Sivuca, Ivan Lins, João Bosco, Elomar, Guinga, Roberto Menescal, Toninho Horta, Gal Costa, Joyce, Leila Pinheiro, Alceu Valença, Carlos Lyra, Paulo Jobim, Hermínio Belo de Carvalho, Simone e muitos outros.
Tem mais de 200 músicas compostas. Algumas delas fazem parte do repertório do Matita Perê, outras passaram por vozes de cantoras, como a mineira Ceumar, a baiana Marta Leão e a paraense radicada na Bahia Claudia Cunha. Também é autor de jingles, como a Canção da Água, que recebeu a voz de Jussara Silveira e foi veiculado em TV por todo o estado da Bahia, por ocasião da homenagem ao Dia Mundial da Água, em 2009.
Tem parcerias com Borega, Luiz Caldas, o compositor mineiro João Lúcio, o poeta paulista Samuel Braga e o maestro, compositor e violonista João Omar, o músico Rafael Galeffi, entre outros.
Com o Matita Perê, apresentou-se em diversos eventos importantes de música na Bahia, como o Julho em Salvador, em 1999, na mesma noite que Carlos Malta; o Troféu Caymmi; o IV Mercado Cultural; o XII Festival de Música Instrumental da Bahia, abrindo o show de Hermeto Pascoal; e o Phoenix Jazz Festival, em Praia do Forte, em 2007, abrindo o show de Wagner Tiso. Em março de 2009, apresentou-se com o grupo Matita Perê no Teatro Castro Alves em noite em Homenagem ao Dia Mundial da Água.

Rafael Larcher Galeffi: Músico e compositor, funcionário do Mirante do Solar – Casa de Cultura, situado na cidade de Itaparica, integrante do Grupo Pirombeira e do Grupo Matita Perê. Co-produtor cultural de projetos artísticos-musicais como Som de Zilda, juntamente com o Grupo Pirombeira; Porto do Som – de autoria do compositor Borega Melo; Ilha do Som, de autoria própria, projeto que visa produzir música na cidade de Itaparica-BA. Também, aluno de graduação da Universidade Federal da Bahia no curso de música em Composição e Regência, com ênfase em Regência. Lá, participou de festivais e seminários de música além de outros concertos e apresentações. Dentre alguns deles estão duas edições do Festival de Percussão 2 de Julho, o MAB (Música de Agora na Bahia) e a participação juntamente com o Grupo Pirombeira na JEMUS (extinta Jam Session da Escola de Música da UFBA). Em 2013 foi premiado com a música Farinha pela Mostra SESC de Música. Vem se dedicando a diversos instrumentos dentre os principais, o violão e a viola caipira.

Grupo Pirombeira: O Grupo nasceu em Salvador no ano de 2010, durante as edições quinzenais do Som de Zilda, evento que em 2013 completou o quarto ano consecutivo em atividade. O quintal do bar de D. Maria Zilda em São Lázaro logo se estabeleceu como um espaço de encontros e experimentações musicais. Um espaço onde se convergia as diversas influências dos músicos que idealizaram e promoviam o evento, produzindo uma sonoridade notadamente peculiar e livre. Seu trabalho autoral transita entre temas instrumentais e canções e tem a rítmica nordestina como grande influência, numa abordagem moderna do baião, frevo, chula e ijexá.
Em sua trajetória, o Grupo Pirombeira interagiu durante o evento Som de Zilda, em momentos de Jam ou enquanto banda base, com diversos artistas como o maestro Letieres Leite, maestro Barbosa Lima, o grupo Matita Perê, Roberto Mendes, grupo Barlavento, dentre muitos outros. O Grupo se apresentou em 2011 no Teatro Sitoc na Rua do Passo, Pelourinho; esteve em algumas temporadas na Varanda do Teatro SESI, no Rio Vermelho; se apresentou no Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura; participou como banda convidada do projeto Porto do Som, do músico Borega Melo, onde participaram também os músicos João Omar, Luciano Aguiar e Rita Tavares; se apresentou na Jemus, Jam da Escola de Música da UFBA; Venceu o 1º Festival de Música da UFBA; se apresentou na Calourosa da UFBA 2012; No período junino do ano de 2012, o Grupo Pirombeira com o projeto junino Pirombaião foi contemplado no edital Ciclo de Festejos Juninos do Pelô, uma realização da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), onde se apresentou na programação cultural do mês de junho e julho na Praça Quincas Berro D’água no Pelourinho; se apresentou na Festa Literária Internacional de Cachoeira (FLICA), na programação da Varanda do Teatro SESI, em Cachoeira (BA); participou do show em comemoração aos 80 anos do cantador João Bá, com quem dividiu o palco, realizado no Teatro Sesc/Senac – Pelourinho; Foi a banda base do show “O fino da chula”, realizado pela Escola Baiana de Canto Popular, em homenagem a Roberto Mendes, realizado no Teatro Molière – Aliança Francesa.
Em 2013, além das apresentações quinzenais no Som de Zilda, o Grupo Pirombeira se apresentou no Pelourinho nos Largos Quincas Berro D’água, Pedro Arcanjo e Tereza Batista, através do credenciamento para contratações de serviços artísticos, e apresentou seu projeto junino Pirombaião. Nesse mesmo ano, o Grupo foi premiado na Mostra SESC de Música – Ano 2, com a composição “Farinha” de Rafael Galeffi, apresentada no Teatro SESC Casa do Comércio em setembro.
Em 2014 o Grupo Pirombeira inicia o ano em processo de gravação do seu primeiro CD, uma produção independe que está sendo gravado por Richard Meyer. Realizou apresentações do seu projeto junino na Casa de Batatinha, no Largo Quincas Berro D’água, no Espaço Cultural Casa Preta e no IV Festival de Arte e Cultura do Território do São Francisco, que aconteceu no Centro de Cultura João Gilberto (Juazeiro-BA). Em julho o Pirombeira se apresentou no projeto “Domingos Musicais”, promovido pelo Palacete das Artes, órgão vinculado a Secult.

grupo pirombeira
Água de Meninos
Grupo Pirombeira